Reflexos

O REFLEXO DA DEPENDÊNCIA

 É fácil injetar heroína, aspirar cocaína, fumar um “baseado”, ingerir bebidas alcoólicas, cada vez que temos aborrecimentos com os outros, cada vez que as injustiças ou os compromissos nos contrariam, cada vez que temos sentimentos de angústia, por isso torna-se um reflexo, como o cigarro que alguns acendem automaticamente a todo o momento, para acalmar seus nervos. A dependência a um produto nasce quase sempre da dificuldade em suportar os aborrecimentos. A necessidade de continuar a consumir é a dependência, que pode ser psíquica ou física. A dependência psíquica: é no interior da cabeça que se situa o desejo de recomeçar. Ela obriga o indivíduo a consumir um produto de forma contínua ou periódica, a fim de tornar a sentir prazer, ou simplesmente como fuga. A dependência física traduz um estado de adaptação biológica das drogas que se manifestam por problemas imensos quando se suspende o uso. A tolerância implica no fato do indivíduo habituar-se às doses. Ele terá então necessidade de aumentar essas doses para obter o mesmo efeito obtido antes com doses menores. A dose letal, entretanto, não se eleva. Ao aumentar a dose de consumo, o indivíduo poderá atingir sua dose letal e chegar à morte. Entre os riscos da fármaco-dependência está a “Overdose”.

O USO DE DROGAS NO AMBIENTE PROFISSIONAL

O tema ainda torna-se mais importante quando o usuário de drogas, em seu âmbito profissional, pode afetar diretamente  a terceiros, colocando as suas vidas em risco.